Espiritualidade

Nosso Credo

  1. Creio em Deus Pai todo-poderoso, criador do céu e da terra;
  2. e em Jesus Cristo, seu único Filho, Nosso Senhor;
    • que foi concebido pelo poder do Espírito Santo;
    • nasceu na Virgem Maria,
    • padeceu sob Pôncio Pilatos,
    • foi crucificado morto e sepultado;
    • desceu à mansão dos mortos;
    • ressuscitou ao terceiro dia;
    • subiu aos céus, está sentado à direita de Deus Pai todo-poderoso,
    • donde há de vir a julgar os vivos e os mortos;
  3. creio no Espírito Santo,
  4. na santa Igreja Católica,
  5. na comunhão dos santos,
  6. na remissão dos pecados,
  7. na ressurreição da carne,
  8. na vida eterna.
    • Amém

Elementos não negociáveis da Espiritualidade Cristã

Todos os teólogos cristãos concordam sobre esses elementos não negociáveis da vida de Jesus Cristo que fundamentam a espiritualidade cristã são: 1. a oração; 2. a observância dos mandamentos de Deus; 3. o coração manso e humilde; 4. a compaixão e misericórdia; 5. a vida em comunidade (igreja); 6. sair, ir ao encontro do outro para anunciar o evangelho. Uma espiritualidade cristã autêntica compõe-se desses 6 elementos pois são as caraterísticas de Jesus de Nazaré.

Os Santos Padroeiros

A palavra “padroeiro” significa simplesmente “aquele que defende, protege”. O Padroeiro por excelência é JESUS CRISTO. A tradição cristã testemunha que Deus manda seus Anjos para proteger, conduzir, então ser padroeiros de seu povo. Os Santos por serem invocados por muitos cristãos como modelos de vida cristã passaram a ser padroeiros também. Celebrar o padroeiro significa 3 coisas para nós: 1. pedir graças, bênção, proteção como diz a primeira intenção da bênção na festa do Santo Padroeiro “O Deus, que é nosso Pai e nos reuniu hoje para celebrar a festa de S. (padroeiro (a) de nossa Comunidade, ou Paróquia, ou Diocese), vos abençoe, vos proteja de todo o mal, e vos confirme na sua paz. 2. Reconhecer e proclamar a presença e a ação de Jesus na vida do Santo Padroeiro como diz a segunda intenção da bênção na festa do Santo Padroeiro “O Cristo Senhor, que manifestou em S… a força renovador da Páscoa, vos torne testemunhas do seu Evangelho; e 3. renovar a nossa vida de igreja, a festa do padroeiro é a festa da comunidade cristã. não é uma festa individual. é a ocasião para uma comunidade de se recriar, de reforçar sua comunhão como diz a terceira intenção da bênção na festa do Santo Padroeiro “O Espírito Santo, que em S… nos ofereceu un sinal de solidariedade fraterna vos torne capazes de criar na Igreja uma verdadeira comunhão de fé e amor.

Nossos Padroeiros

  1. São Tiago Maior
  2. São Francisco de Assis
  3. São Judas Tadeu
  4. Nossa Senhora da África

Elementos de espiritualidade de S. Tiago Maior

  1. O chamado: “foi chamado por Jesus juntamente com o irmão João”
  2. Despojamento: “acolhendo o convite do Mestre, deixou logo o barco e o pai”
  3. Discipulado: “tornou-se um fiel discípulo” (Mc4, 21-22)
  4. Intimidade com Jesus: “Foi testemunha privilegiada da ressurreição da filha de Jairo (Mc5, 37), da transfiguração (Mt17, 1), da agonia no Getsêmani (Mt26, 37).
  5. Martírio (Fidelidade até a morte): “Primeiro mártir entre os apóstolos, foi decapitado sob Herodes Agripa nos dias da Páscoa (At12, 2-3) pelo ano 44”

Elementos de espiritualidade de S. Francisco de Assis

Elementos de espiritualidade de Nossa Senhora da África

Os Missionários da África têm uma devoção tradicional a Virgem Maria, Mãe de Nosso Senhor Jesus Cristo. Ela é a padroeira da Congregação. Os Missionários veneram a Mãe de Jesus sob o título de Nossa Senhora da África. Eles consagram os votos perpétuos deles sob a proteção de Nossa Senhora da África. A Congregação nasceu na Basílica de Nossa Senhora da África que se encontra em Argel, Argélia. A imagem de N. Sra. da Africa, a Virgem Fiel, se encontra na basílica de Argel, Argélia.  A Virgem Fiel, a Imaculada Conceição, Nossa Senhora da África tem uma mensagem e uma espiritualidade que inspira os Missionários da África:

  1. presença e encarnação no mundo. A imagem de N. Sra. em cima da basílica no meio de um povo muçulmano é a primeira missão de Deus: presença às pessoas e encarnação.
  2. a coroa: ela é rainha. a realeza dela vem do Filho Rei é por isso que a ponta da coroa é a cruz, símbolo de Cristo. De fato em Israel, no reinado de Judá, a rainha não é a mulher do Rei. é a mãe do Rei.
  3. os cabelos: o mais feminino da estátua de N. Sra da África é os cabelos dela. Ela não tem um véu para esconder o sinal de beleza que é os cabelos. os cabelos de Maria nos lembra que ela é mulher, feminina. Este corpo feminino é coroado de Cristo e coberto de abundância de graças. somos chamados a respeitar e promover a dignidade da mulher. os cabelos nos lembram que santas mulheres do evangelho usam a beleza delas para mostrar muito amor a Jesus. Somos também convidados a mostrar muito amor.
  4. a imagem se apresenta com uma luz que brilha nas trevas. faz sol, faz chuva, a imagem está sempre iluminada da presença de Jesus. As cores branca e azul resplandecem sempre mais com o sol ou com a lua. Contrariamente a imagem de N. Sra da Graças onde os raios, as graças, saem das mãos, os raios de N. Sra saem da coroa, da realeza dela e se derramam no manto. Ela não é um instrumento, un canal só…
  5. eis por que o manto está cheio, pleno, abundante. é abundante de graças. é presença de Jesus Cristo nela. é vida em abundância. esta vida se recebe em contato com ela. ela não derrama bênçãos como um anjo do céu. Para conseguir as graças você deve tocar nela, entrar em relação com ela, abraçar ela. Ela é mãe. então ela transmite graças por infusão, por imersão como o batismo.
  6. o manto de N. Sra parece com uma casula e ela dá a impressão de estar celebrando o sacrifício eucarístico. de fato a banda branca no meio do manto é o símbolo do sacerdócio. Ela é então fonte de santificação do povo: sacerdote e intercessora. cada vez que rezamos com ela celebramos a eucaristia Mariana que nos coloca em comunhão com Jesus Cristo. Lembremo-nos que na cruz, ela estava de pé celebrando o sacrifício do Filho.
  7. é por isso que ela tem os braços e as mãos abertos: presença que acolhe a todos sem distinção, sem discriminação. são braços que convidam a entrar na intimidade com Jesus por ela. são braços que querem abraçar como um mãe abraça o filho e o filho tem a sensação de voltar para o seio dela.
  8. os braços abertos abaixados apontam a uma presença sem armas, sem violência, sem defesa, presença vulnerável que oferece somente o que temos de mais precioso: o amor de Deus que nos impele. é uma presença cheia de amor. Num mundo que critica a religião, o cristianismo, N. Sra da África não quer se defender. as mãos abertas mostra humilde, pureza, simplicidade no meio de um povo que se agarra ao poder e a riqueza.
  9. um olhar para baixo: um olhar de amor para as pessoas que passam e ela intercede para que eles sejam sempre abençoados. Ela presta atenção ás pessoas que passam, que se aproximam ou se afastam. A cada pessoa que passa ela diz “tu és precioso aos meus olhos, eu te amo” (Is43, 5)
  10. a imagem lança um olhar penetrante para o horizonte, isto é, o deserto do Saara e além: é um projeto de evangelização.  N. Sra. da África é um projeto missionário de evangelização dos povos que ainda não receberam o evangelho de Jesus Cristo. Ela nos diz a todo momento: “olhe para frente, olhe para além de si, da sua terra, da sua família… olhe para longo… para os povos”. Seja um missionário do Senhor.

veja a história da imagem de N. Sra da África

Anúncios

Site hospedado por WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: